Artrose

A Clínica Deckers preparou em seu site um suplemento para ajudar as pessoas que buscam informações sobre Artrose.

São tópicos do tipo pergunta / resposta com algumas das dúvidas mais comuns e, para visualiza-las, basta clicar na questão abaixo desejada ou seguir toda lista até o final

Aqui você irá encontrar as seguintes questões


(Você pode clicar em cada pergunta acima ou "rolar" a página para ver todas)




01 - A Obesidade Pode Levar A Artrose?

Sim. Nesta situação (artrose do joelho), pode ser demonstrado que:

- se seu peso é excessivo, você corre um maior risco de sofrer mais tarde de uma artrose do joelho;

- se seu peso é excessivo e você emagrece, o risco de aparecer mais tarde uma artrose do joelho diminui;

- se seu peso é excessivo e você sofre de uma artrose do joelho, a evolução estrutural (agravamento do pinçamento articular) será mais importante que se você não é obeso;

- fica a questão de saber se a dor de um paciente obeso que sofre de artrose do joelho diminui se o paciente perde peso. Um estudo preliminar é sugerido.

• Primeiramente nós pensamos que a artrose observada nos obesos é devida a uma sobrecarga mecânica da articulação, notadamente do joelho. Certos estudos dizem que é verdade...mas que não é o único fator. É assim que no joelho, os obesos têm maior risco de sofrer mais de artrose pois eles têm uma anomalia estrutural (joelho em “X” ou em “tonel”). Além disso, nós observamos que a obesidade era igualmente um fator associado à artrose digital onde é difícil de se incriminar um fator mecânico particular nos obesos. É então provável que ao lado do aumento dos atritos mecânicos, existem outros fatores além da obesidade (fatores metabólicos?) que facilitam a artrose.


2    
A obesidade não combina com a artrose (a obesidade é um fator predisponente não somente da aparição da artrose do joelho mas igualmente de seu agravamento). A luta contra a obesidade representa atualmente um dos melhores tratamentos da artrose  do joelho.






02 - O Que É Condromalácia ?

Quer dizer amolecimento da cartilagem (condro = cartilagem, malácia = mole). Esta anomalia pode-se observar em várias circunstâncias:

• A primeira é do traumatismo direto. A lesão cartilaginosa aparece antes da fratura (fissura) da cartilagem. Pegamos o exemplo do traumatismo direto da rótula no joelho. O caso mais freqüente é o traumatismo chamado “quadro de bordo” aparecendo durante um acidente de carro. Várias formas de intensidade decrescente podem ser observadas:

- a primeira é que o traumatismo é tão importante que provoca uma fratura do osso da rotula e da cartilagem que é ligado a ele;

- a segunda é que o traumatismo não provoca a fratura óssea mais uma fratura aberta da cartilagem;

- a terceira é que o traumatismo não provoca somente uma contusão da cartilagem. É esta “contusão” da cartilagem que nós chamamos de condromalácia.

É importante mencioná-la pois é necessário considerá-la e tratá-la como um verdadeiro traumatismo importante da cartilagem, e então impor o repouso para permitir à cartilagem de retomar a sua forma e sua função normal. Esta contusão da cartilagem (condropatia fechada) pode-se complicar com a artrose (condropatia aberta, fissurada).

• A segunda é da artrose banal. É provável que a primeira etapa da artrose comece por um edema (inchaço da cartilagem ou condropatia fechada) que leva a uma cartilagem menos resistente e mais vulnerável, esta cartilagem mole pode então se fissurar na sua superfície (condropatia aberta) e estas fissuras serão mais difíceis de cicatrizar.

2    
 A condromalácia (amolecimento da cartilagem) pode ser devido a um traumatismo direto da cartilagem ou corresponder a um estágio precoce da artrose. Neste estágio pode-se esperar que um tratamento bem conduzido permita uma cicatrização completa das lesões.








03 - É Útil Tomar Vitaminas Para Prevenir Ou Tratar A Artrose?

Teoricamente quatro vitaminas poderiam estar implicadas na artrose:

• A vitamina A parece nefasta, pois o excesso (seja pela absorção exagerada seja pela doença metabólica como a doença de Forestier) parece associado a um risco mais importante de deterioração da cartilagem.

• As vitaminas C e E, pelo seu efeito antioxidante, poderiam ter um efeito favorável.

• A vitamina D, útil à manutenção de uma boa qualidade dos ossos, poderia igualmente ser benéfica.

Ao lado das propriedades destas vitaminas, existem estudos efetuados em laboratório mostrando que certas vitaminas, e notadamente a vitamina E, poderia favorecer o metabolismo das células da cartilagem (condrócitos).

Os dados científicos em humanos são raros. Um estudo norte-americano efetuado há mais de vinte anos mostrou que as mulheres quem têm aos 70 anos uma artrose do joelho tinham, na idade dos 50 anos (antes da artrose do joelho), uma taxa sanguínea de vitamina D mais baixa que as mulheres sem artrose 20 anos mais tarde. Estas constatações tinham igualmente sido observadas mas em um menor grau com as taxas sanguíneas de vitaminas C e E.

Não existe nenhuma prova cientifica de que o suporte suplementar de vitamina C, D ou E tenha qualquer efeito benéfico para prevenir a artrose e/ou para tratar a artrose.

1    
Existem alguns argumentos que sugerem que um suporte equilibrado em vitaminas C, D e E possa ser benéfico para a cartilagem. Nós aconselhamos então um suporte alimentar. Ao contrário, não existe hoje em dia nenhuma prova científica para pensar que um suporte suplementar (por comprimidos) possa ser benéfico para a artrose.








04 - Quais São Os Resultados Da Prótese ?

A prótese articular representa um enorme progresso da cirurgia ortopédica.

Os resultados são naturalmente diferentes em função da localização da artrose (quadril, joelho mas também tornozelo, ombro, cotovelo, etc.).

A substituição da articulação por uma prótese vai permitir aliviar as dores, voltar a dar uma boa mobilidade do quadril e fazer desaparecer a marcha claudicante, o que no total melhora a qualidade de vida dos pacientes.

Este tipo de bom resultado é obtido em 98% dos casos para o quadril e mais de 58% para o joelho. Existem então em certos pacientes os resultados que são menos satisfatórios (ele pode persistir com dores ou com mobilidades um pouco menos importantes ou uma marcha claudicante). Este pode ser devido a uma deficiência muscular, a dificuldades no momento da colocação da prótese, a uma anatomia muito alterada; às vezes, nenhuma causa é encontrada. O aparecimento de uma complicação é raro nesta cirurgia bem planejada e programada, no entanto este risco não é nulo; as complicações menos excepcionais são as luxações da prótese, a infecção e o aparecimento de uma flebite.

A obtenção do resultado não é imediato, é necessário caminhar com uma ou duas muletas durante o mês que se segue á intervenção, a marcha claudicante e as dores desaparecem no inicio de 3 meses em média, e o resultado definitivo e completo é de 6 a 12 meses.

2    
Os resultados da prótese são em geral excelentes mas é necessário saber esperar o momento certo para a intervenção caso a evolução de longo prazo seja agravada pelo risco de um descolamento das peças protéticas sobre o osso.








05 - Em Que Momento Deve-se Fazer Infiltrações De Corticóides E De Ácido Hialurônico?

A infiltração de corticóides consiste em injetar dentro de uma articulação antiinflamatórios potentes, os corticóides (ainda chamados antiinflamatórios esteroides), que vão agir localmente. Esta infiltração é particularmente indicada quando a artrose está em crescimento e que este crescimento resiste a um tratamento simples associando ao repouso articular e à ingestão de antiinflamatórios não esteroides por via oral.

Assim, para artrose de quadril, a infiltração será indicada diante da persistência das dores noturnas e de uma melhor mobilização matinal; no joelho, ela será proposta diante da persistência de dores com edema da sinóvia.

As infiltrações de ácido hialurônico são mais bem propostas quando um joelho artrósico é:

• dolorido apesar dos outros tratamentos;

• sem ou com um baixo edema sinovial;

• sem deterioração radiológica importante;

• nas artroses de joelho graves, nos pacientes que não podem ou não querem ser operados para colocar uma prótese;

• quando os antiinflamatórios não esteróides são mal tolerados, ineficazes ou contra- indicados;

• após uma fase de destruição rápida da cartilagem (“condrólise rápida”).

2    
A infiltração de corticóides é um tratamento de escolha do crescimento da artrose, em particular no joelho onde a articulação é     superficial e fácil de puncionar.

As infiltrações de ácido hialurônico não são um tratamento para o crescimento da artrose, mas um tratamento de manutenção de     longo prazo. Eles são indicados quando o joelho fica dolorido, com pouco ou sem edema apesar dos outros tratamentos medicamentosos e não medicamentosos.





06 - O que É O Ácido Hialurônico?

O ácido hialurônico é uma substância viscosa e elástica que é fabricada pela articulação e que compõe o líquido sinovial (ou “sinóvia”). Este líquido sinovial, rico em ácido hialurônico em seu estado normal, vai lubrificar as superfícies cartilaginosas pelas suas propriedades viscosas e protegê-las de choques pelas suas propriedades elásticas. No decorrer da artrose, o líquido sinovial é mais pobre em ácido hialurônico tornando a cartilagem mais vulnerável às forças de fricção e de compressão.

2    
O ácido hialurônico é um constituinte normal do líquido sinovial Ele assegura o bom deslizamento das superfícies articulares. Um dos tratamentos da artrose consiste a fazer infiltrações de ácido hialurônico dentro das articulações artrósicas.







07 - Quais São Os Principais Medicamentos Analgésicos?

Todo medicamento utilizado na artrose tem uma ação antálgica. Quer dizer, acalmar as dores. Nós reservamos o termo: tratamento analgésico, aos medicamentos que têm somente esta ação própria.

Neste grupo de medicamentos analgésicos, nós podemos distinguir:

• Os que agem no início da dor (aqui na articulação) e que têm, por isso, uma ação chamada “periférica”, dos que agem na origem da dor (o cérebro) e que tem uma ação chamada “central”. A lista dos analgésicos periféricos é longa, por exemplo o paracetamol;

• Os que contêm a morfina ou derivados morfínicos;

• Os que contêm pequenas doses de antiinflamatórios (nesta dose estes medicamentos não são eficazes sobre os fenômenos inflamatórios mas são capazes de diminuir a dor).

2    
    Na utilização de analgésicos comuns deve-se privilegiar para tratamento da artrose, notadamente o paracetamol. Fora de casos     particulares, a ingestão de medicamentos analgésicos é a que nos parece mais adaptada à dor observada no curso da artrose;   é importante     observar o papel do paciente na cura de sua doença.








08 - Quais São Os Medicamentos E Suas Indicações Dos Chamados "Específicos” para a artrose? Existem Medicamentos Que Retardam A Destruição Cartilaginosa Na Artrose?

Além dos analgésicos e dos antiinflamatórios existem outros medicamentos que foram estudados recentemente como um medicamento à base de soja e de abacate (Piasclédine®), e um medicamento à base de extratos de cartilagem: chondroitina sulfato (Structum®, Chondrosulf®) e um medicamento extraído de uma planta: a diacereina (Art 50®, Zondar®).

As particularidades destes medicamentos são as seguintes:

• Eles são geralmente bem tolerados.

• Sua eficácia sobre os sintomas dolorosos dos pacientes artrósicos foi demonstrada mas parece às vezes inferior à eficácia dos antiinflamatórios.

• Sua eficácia aparece após várias semanas de utilização. Esta característica é muito importante para o paciente saber, senão, ele pode suspender este tratamento após alguns dias por falsa “ineficácia”. Estes medicamentos são chamados de “Medicamentos
Sintomáticos de Ação Lenta”.

• Eles podem ser associados aos outros medicamentos. Foi demonstrado que estes medicamentos foram capazes de diminuir a quantidade de analgésicos e/ou de antiinflamatórios necessários ao conforto do paciente.

As indicações dos medicamentos chamados “específicos” são:

• Para aliviar a dor, tomar altas doses de analgésicos ou de antiinflamatórios.

• Quando um paciente tem sintomas crônicos e frequentes. O objetivo é ver se os sintomas melhoram após várias semanas de utilização destes medicamentos.

• Quando o paciente está em crescimento, nós sabemos que o paciente está em risco de deterioração cartilaginosa e que queremos evitar este agravamento do estado cartilaginoso.

• Quando estes medicamentos terão provado de maneira formal sua eficácia não somente sobre os sintomas em curto prazo mas igualmente, sobre o estado da cartilagem.

Não existem medicamentos que retardam a destruição cartilaginosa na artrose.

Um estudo realizado na França em pacientes que sofrem de artrose do quadril mostrou que um tratamento diário prolongado por três anos com diacereina diminuiu a deterioração cartilaginosa em comparação com um placebo.

Conclusões análogas foram estudadas na artrose do joelho com a glucosamina sulfato (um medicamento a base de extratos de cartilagem não disponível na França).

Um estudo preliminar (realizado em um pequeno número de pacientes) sugere que injeções repetidas de ácido hialurônico poderiam igualmente prevenir a deterioração cartilaginosa.







09 - Quais São Os Principais Medicamentos Para A Artrose ? Os Antiinflamatórios São Mais Eficazes Que Os Analgésicos Para Aliviar A Dor ? Os Gels Antiinflamatórios São Eficazes ? Existem Antiinflamatórios Mais Eficazes Que Outros E Quais São Os Seus Inconvenientes?

Os medicamentos à nossa disposição para o tratamento da artrose são numerosos.

• A diferença entre “medicamentos”, “suplementação dietética” e “dispositivos”:

Na prática é necessário saber que a tolerância aos suplementos dietéticos é similar àquela dos medicamentos, mas com eficácias distintas.

Um medicamento deve provar sua eficácia em estudos rigorosos antes de poder estar disponível para tratamento da artrose; um suplemento dietético não necessita desta demonstração.

Um problema análogo se faz entre “medicamento” e “dispositivo”. Isto é sobretudo verdade para a classificação dos ácidos hialurônicos utilizados em injeções intra- articulares. Um deles é classificado como medicamento, os outros como dispositivos. Assim,
a principal diferença consiste em uma avaliação menos satisfatória da eficiência dos “dispositivos” quando comparada com a dos medicamentos.

• As diferentes vias de administração dos medicamentos:

Nós distinguimos três:

- a via geral ou sistêmica: a mais clássica é a administração pela boca (o termo médico é per os). Existe raramente para a artrose a via intravenosa, retal ou intramuscular;

- a via intra-articular, que consiste em fazer penetrar diretamente dentro da cavidade articular um medicamento;

- enfim, a via per cutânea que consiste em administrar o medicamento na superfície da pele, próximo da articulação.

• Os diferentes mecanismos de ação dos medicamentos:

Nós podemos classificar em três categorias com níveis diferentes:

- os medicamentos analgésicos onde o “único” objetivo é de aliviar a dor;

- os medicamentos antiinflamatórios onde o objetivo é não somente de tratar a dor mas igualmente dos fenômenos inflamatórios;

- os tratamentos específicos da artrose onde o objetivo essencial é de estacionar a evolução natural da doença....seja rapidamente a longo prazo, para melhorar a dor e o distúrbio funcional dos pacientes.

Nós percebemos que para melhorar a dor de um paciente artrósico, nós podemos ter recursos terapêuticos onde os mecanismos de ação são completamente diferentes.

Os analgésicos assim como os antiinflamatórios são tratamentos eficazes para aliviar a dor da artrose.

• Com efeito, estudos concluíram a favor do uso dos antiinflamatórios no caso da dor que aparece em repouso e da dor noturna. No que se refere à dor que aparece após atividades físicas (a dor comum da artrose), os resultados não mostram grandes diferenças entre estes dois grupos terapêuticos.

• Um estudo recente comparando coxibs e paracetamol, sugere uma maior eficácia dos coxibs comparativamente ao do paracetamol.

• Uma enquête diante centenas de pacientes artrósicos mostrou que os pacientes consideram que os antiinflamatórios são mais eficazes que os analgésicos puros.

• Na prática, a questão é a seguinte: “em função da eficácia e da tolerância dos medicamentos é preferível utilizar os analgésicos ou os antiinflamatórios para tratar a dor artrósica?” Até a chegada dos coxibs, a maior parte das sociedades cientifica recomendam
os tratamentos analgésicos como de primeira escolha em razão dos efeitos secundários dos antiinflamatórios e de só recorrer aos antiinflamatórios que em caso de falha terapêutica dos analgésicos. Hoje em dia, certas sociedades cientificas recomendam
utilizar os coxibs como primeira escolha em caso de dor importante e/ou de dor aparecendo ao repouso e/ou acordando o paciente à noite.

Os tratamentos locais com pomada ou gel antiinflamatório são interessantes para aliviar as dores das articulações artrósicas superficiais como as dos dedos ou dos joelhos. A aplicação contínua permite um efeito local interessante, com absorção para dentro da articulação geralmente limitada (eles não têm em principio efeitos indesejáveis dos antiinflamatórios tomados em comprimidos). Nós distinguimos os gels (sem fase gordurosa) que penetram muito rapidamente e podem, em principio, ser aplicados juntamente com o curativo fechado, sem massagem; e as pomadas e as emulsões. Certos produtos existem em compressas impregnadas muito simples de aplicar ou em cataplasmas. A maior parte dos produtos é dos antiinflamatórios sem cortisona. As principais contra- indicações deste tipo de tratamento são as lesões da pele, no entanto, certos produtos podem ser foto- sensibilizantes (risco de reação ao sol); outros contêm uma substância que pode causar vermelhidão na pele (não se deve massagear); alguns produtos são contra-indicados em caso de epilepsia; porém, a maior parte é contra-indicada nas crianças. No caso de reação na pele após a aplicação, convém parar imediatamente a aplicação do produto.

NÃO existem antiinflamatórios mais eficazes do que os outros se confiarmos nos resultados dos testes terapêuticos e SIM se confiarmos na experiência clinica dos médicos.

Todos os estudos sobre isto, demonstram facilmente a superioridade de um antiinflamatório em comparação ao placebo (substância sem propriedades farmacológicas); mas em contrapartida, estes estudos concluíram que não existem diferenças quando dois
antiinflamatórios são comparados entre si. Na prática diária, é evidente que existe uma susceptibilidade individual para uma mesma doença quanto ao estado evolutivo; uma doença pode melhorar pelo uso de um antiinflamatório particular , porém, o mesmo
medicamento poderá ser totalmente ineficaz em uma outra doença.

Nós veremos que os coxibs são novos antiinflamatórios menos lesivos para o estômago. Eles são eficazes, mas não tanto quanto os antiinflamatórios convencionais. Existe sempre um efeito dose-resposta: um medicamento é tão mais eficaz quando é administrado numa dose mais alta. Isto é verdade dentro de um certo limite, mas é particularmente verdade na artrose onde o efeito é estável. Se lembrarmos que este efeito dose-resposta é ainda mais claro no que se refere à toxicidade dos antiinflamatórios convencionais, então, o risco de efeitos secundários aumenta claramente com a dose empregada.

• Nós podemos resumir os inconvenientes dos antiinflamatórios em várias categorias:

- A maior parte se refere ao tubo digestivo em razão do risco de úlcera. Esta irritação digestiva vai se traduzir por sintomas clínicos como as ulcerações gástricas, que podem levar a episódios graves de hemorragias e peritonite, em razão da perfuração de uma
úlcera no abdômen. É necessário saber que os efeitos secundários graves que são a hemorragia e a perfuração podem aparecer muito rapidamente (às vezes desde o primeiro dia de tratamento) e sem sinal prévio, e principalmente, sem dor de estômago. Estas
complicações graves são vistas nas pessoas idosas antes do desenvolvimento das úlceras. O cigarro e/ou do álcool é um fator que favorece o aparecimento destas complicações digestivas. A ingestão de aspirina mesmo em baixa dosagem pode aumentar este risco.

- A coagulação é alterada. Este efeito pode ser benéfico para certas pessoas, em que a ”fluidificação” do sangue é benéfica (como em certas doenças cardiovasculares), mas igualmente maléfica, pois existe um aumento do risco de hemorragia.

- Um tratamento prolongado pode piorar a função dos rins.

- Enfim, certas pessoas podem ser alérgicas a certos antiinflamatórios ou a aspirina.


Imprima este artigo







 
 
Clínica Deckers
Av. Europa, 887 - Jd. Europa - São Paulo / SP
Tel.: (11) 3065 1299
contato@clinicadeckers.com.br