Dedo em Martelo Orientações Médicas / Ortopedia  

O que é o dedo em martelo?

É uma lesão que ocorre na ponta do dedo, sendo uma lesão pura do tendão extensor ou também uma fratura no dorso da falange distal (ponta do dedo), causada por uma pancada em sua extremidade.

No dedo em martelo, o tendão que retifica a ponta do dedo é lesionado, comprometendo esta habilidade, podendo causar a incapacidade de esticar totalmente o dedo.



Como ocorre?

Normalmente, há um impacto direto contra a ponta do dedo ou um trauma com o dedo dobrado.


Quais os sintomas?

Dor e edema na ponta do dedo. Perda da capacidade de esticar a ponta do dedo, que pode se tornar permanente se for uma lesão antiga ou se não houver interferência de um médico.


Como é diagnosticado?

O médico examinará o dedo e analisará os sintomas. Raios-X podem ser feitos, para constatar se há fratura.

Pode ocorrer a ruptura do aparelho tendinoso extensor do dedo ou o arrancamento de um pedaço de osso pelo tendão que se conecta a ele, na última falange do dedo.


Como é tratado?

O dedo é retificado e colocado em uma tala, por, aproximadamente, 6 semanas, para permitir que o tendão se conecte novamente ao osso. Em caso de um pedaço do osso ter sido arrancado, a imobilização tem o objetivo de permitir que o osso cicatrize.

É importante manter a tala para permitir a cicatrização. O dedo, provavelmente, estará com edema.

Deve-se aplicar compressas de gelo por 20 ou 30 minutos, sendo que a cada 8 minutos de gelo deve-se fazer uma pausa de 3 minutos. Pode ser feita a cada 3 ou 4 horas, por 2 ou 3 dias ou até que a dor desapareça.

Quando deitado, elevar a mão, apoiando-a sobre um travesseiro. Quando sentado, elevar a mão apoiada acima do nível do coração, por exemplo, apoiando-a no braço do sofá.

Algumas vezes, é necessário fazer uma cirurgia para correção do problema, o que é mais comum quando há lesão apenas do tendão, sem fratura, pois a cicatrização é mais difícil.

Após a retirada da tala é comum que os pacientes sejam encaminhados para a fisioterapia.


Quando retornar à atividade ou esporte ?

O objetivo da reabilitação é que o retorno ao esporte ou à atividade aconteça o mais rápido e seguramente possível. Se o retorno for precoce, existe a possibilidade de piora da lesão, que pode levar a um dano permanente.

Como cada indivíduo é diferente do outro, a velocidade de recuperação também é. Por isso, o retorno ao esporte será determinado pela recuperação do dedo, não existindo um protocolo ou um tempo exato para isto acontecer. Geralmente, quanto mais rápido o médico for consultado após a lesão, mais rápida será a recuperação.

É importante usar uma tala no dedo em martelo por, pelo menos, 6 semanas após a lesão. Ao usá-la, como recomendado pelo médico, o retorno às atividades pode ser mais rápido. Não usá-la, pode levar à uma lesão permanente ou a uma deformação do dedo.


Como prevenir o dedo em martelo?

O dedo em martelo é causado por uma forte pancada na sua extremidade, normalmente acidental e imprevisível. Por isso, não existe uma maneira de prevenção.


Exercícios de reabilitação da lesão do dedo em martelo:

*** Atenção, cuidado ! Sempre faça os seus exercícios acompanhado por um profissional

Os exercícios a seguir são apenas um guia de tratamento básico, por isso o paciente deve fazer a reabilitação acompanhado de um fisioterapeuta, para que o programa seja personalizado.

A fisioterapia conta com muitas técnicas e aparelhos para atingir objetivos como analgesia, fortalecimento muscular, manutenção ou ganho da amplitude de movimento de uma articulação, etc, e por isso, o tratamento não deve ser feito em casa e sem a supervisão de um profissional.



Figura 1 - Flexão do Dedo


Gentilmente, auxiliar a flexão da articulação lesionada com a mão oposta. 

Depois, com cuidado, tentar esticar a articulação lesionada, sempre com a ajuda da outra mão. 

Repetir, lentamente, mantendo a posição por 5 segundos ao final de cada movimento.

Fazer 10 vezes, de 3 a 5 vezes por dia.



Figura 2 - Estiramento do Dedo

Com a mão espalmada sobre uma mesa e os dedos estendidos, levantar, individualmente, cada dedo e mantê-lo nesta posição por 5 segundos.

Completar o exercício com os 5 dedos, individualmente. 

Manter cada dedo levantado por 5 segundos e repetir 10 vezes.



Figura 3 - Fechamento do Punho

Flexionar os dedos, fechando o punho. Se o dedo lesionado não dobrar até o punho, auxilie-o a dobrar, com a mão não lesionada. 

Manter a posição por 5 a 10 segundos e repetir 10 vezes.



Figura 4 - Pegar Objeto

Praticar pegar pequenos objetos com o dedo lesionado e o polegar, como: moedas, bolas de gude, broches ou botões.

.

 



 



Imprima este artigo





 
 
 
Clínica Deckers
Av. Europa, 887 - Jd. Europa - São Paulo / SP
Tel.: (11) 3065 1299
contato@clinicadeckers.com.br