Distensão da Musculatura Isquiotibial Orientações Médicas / Ortopedia  

Distensão do Tendão dos Músculos Isquiotibiais (Distensão da Musculatura do Jarrete)

O que é distensão dos músculos Isquiotibiais (Musculatura de Jarrete)?


A musculatura isquiotibial é formada por três músculos da parte posterior da coxa, que permitem dobrar o joelho e extender o quadril, são eles: o bíceps femural, o semimembranoso e o semitendinoso. A distensão é um estiramento ou ruptura de qualquer músculo ou tendão.

Como ocorre ?

A distensão da musculatura isquiotibial, normalmente ocorre quando tais músculos são contraídos bruscamente durante algumas atividades, como corrida, salto ou por movimentos excessivos de extensão da coxa ou de flexão do joelho.


Quais são os sintomas ?

Queimação ou estalo, já no momento da lesão. A dor é sentida ao andar, dobrar ou esticar a perna. Alguns dias após o ocorrido, pode surgir um hematoma logo abaixo da lesão.


Como é diagnosticado ?

O médico examina a perna e encontrará dor ou incômodo no local da lesão.


Como é tratado ?

O tratamento poderá incluir:

• Compressas de gelo na musculatura por 20 ou 30 minutos, sendo que a cada 8 minutos de gelo deve-se fazer uma pausa de 3 minutos. Pode ser feita a cada 3 ou 4 horas, por 2 ou 3 dias ou até que a dor desapareça,

• Elevação da perna, colocando um travesseiro sob ela,

• Faixa elástica envolvendo a coxa para compressão, a fim de evitar que o edema piore,

• Anti-inflamatórios, analgésicos e relaxantes musculares de acordo com a prescrição do médico,

• Muletas, no caso de dificuldade para andar,

• Fisioterapia.

Ao retornar à atividade, pode ser necessário um enfaixe elástico para dar suporte extra à musculatura isquiotibial. Durante este período, sugere-se uma atividade esportiva mais amena.



Quando retornar ao esporte ou atividade ?

O objetivo da reabilitação é que o retorno ao esporte ou à atividade aconteça o mais rápido e seguramente possível. Se o retorno for precoce, existe a possibilidade de piora da lesão, que pode levar a um dano permanente.

Como cada indivíduo é diferente do outro, a velocidade de recuperação também é. Por isso, o retorno ao esporte será determinado pela recuperação dos músculos isquiotibiais, não existindo um protocolo ou um tempo exato para que isto aconteça.

Geralmente, quanto mais rápido o médico for consultado após a lesão, mais rápida será a recuperação.

Para retornar, seguramente, ao esporte ou à atividade é necessário:

• Possuir total alcance de movimento da coxa lesionada, em comparação com a outra coxa,

• Possuir total força da coxa lesionada, em comparação com a outra,

• Correr em linha reta, sem sentir dor ou mancar,

• Correr em linha reta, a toda velocidade, sem mancar,

• Fazer viradas bruscas a 45º, inicialmente, a meia velocidade e, posteriormente, em toda velocidade,

• Correr, desenhando, no chão, um “8” de 18 metros, inicialmente, a meia velocidade e, posteriormente, a toda velocidade,

• Fazer viradas bruscas a 90º, inicialmente a meia velocidade e, posteriormente, a toda velocidade,

• Correr, desenhando, no chão, um “8” de 9 metros, inicialmente a meia velocidade e, posteriormente, a toda velocidade,

• Pular com ambas as pernas e somente com o lado lesionado, sem sentir dor.


Como previni-la ?

A melhor maneira, de prevenir a distensão, é aquecer e alongar a musculatura isquiotibial, antes e depois de realizar atividades físicas, especialmente, em exercícios de salto e corrida de alta velocidade.


Exercícios de Reabilitação da Distensão da Musculatura do Jarrete

*** Atenção, cuidado ! Sempre faça os seus exercícios acompanhado por um profissional

Os exercícios a seguir são apenas um guia de tratamento básico, por isso o paciente deve fazer a reabilitação acompanhado de um fisioterapeuta, para que o programa seja personalizado.

A fisioterapia conta com muitas técnicas e aparelhos para atingir objetivos como analgesia, fortalecimento muscular, manutenção ou ganho da amplitude de movimento de uma articulação, etc, e por isso, o tratamento não deve ser feito em casa e sem a supervisão de um profissional.

Os alongamentos devem ter início duas semanas após a lesão e deve-se sentir apenas um desconforto na parte posterior da coxa, sem causar dor aguda.

Quando não sentir mais dor os exercícios 4, 5 e 6 podem ter início e, por último, quando a musculatura estiver mais forte, o exercício 7.




1 - Alongamento em Pé da Musculatura Isquitibial:

Começar colocando o calcanhar da perna lesionada sobre um banco de, aproximadamente, 40 cm de altura.

Inclinar o tronco para frente e flexionar o quadril até sentir um leve alongar na parte posterior da coxa.

Colocar as mãos nos pés, ou tornozelo caso não os alcance.

Manter os ombros e as costas eretos.

Manter o alongamento por 30 a 60 segundos e repetir o exercício 3 vezes.






2 - Alongamento na Parede da Musculatura Isquitibial:

Deitar de costas no chão, com as nádegas próximas ao batente de uma porta aberta, de forma que a perna sã fique totalmente estendida através dela.

A perna lesionada deve estar levantada e encostada contra a parede, de modo que o calcanhar descanse contra o batente. Um alongamento muito forte será sentido, na parte posterior da sua coxa.

Manter por 60 segundos e repetir 3 vezes.

 




3 - Alongamento em Pé da Panturrilha:

Ficar de pé, com os braços estendidos para frente e as mãos espalmadas e apoiadas em uma parede na altura do peito.

A perna do lado lesionado deve estar, aproximadamente, 40 cm atrás da perna do lado são.

Manter o lado lesionado estendido, com o calcanhar no chão, e inclinar-se contra a parede.

Flexionar o joelho da frente até sentir o alongamento da parte de trás do músculo da panturrilha, do lado lesionado.

Manter essa posição de 30 a 60 segundos e repetir 3 vezes.

 





4 - Flexão de Bruços do Joelho:

Deitar sobre o abdômen, com as pernas estendidas.

Flexionar o joelho do lado lesionado até que o calcanhar se encontre com as nádegas.

Voltar à posição inicial e repetir 10 vezes o exercício.

Fazer 3 vezes.

Quando ficar fácil, pesos podem ser colocados no tornozelo.






5 - Faixa Elástica Enrolada no Tornozelo:

Sentar em uma cadeira de frente para a porta, com distância suficiente para estender a perna.

Amarrar uma das pontas da faixa elástica em volta do tornozelo do lado lesionado.

Amarrar a outra ponta da faixa na maçaneta do lado de fora da porta e fechar a porta, com o nó para fora. Isto deixará o sistema preso.

Flexionar o joelho e tencionar a faixa, de forma a deslizar o pé pelo chão até colocá-lo debaixo da cadeira.

Lentamente, deslizar o pé para frente.

Repetir 10 vezes e fazer 3 séries.

À medida que ficar fácil, afastar a cadeira da porta, aumentando a resistência da faixa elástica.





6 - Levantamento em Pé do Calcanhar:

Segurar em uma cadeira e suspender o corpo sobre os dedos dos pés, tirando os calcanhares do chão, ficando nas pontas dos pés.

Manter esta posição por 3 segundos e, lentamente, voltar à posição inicial.

Repetir 10 vezes e fazer 3 séries.

À medida que o exercício ficar fácil, levantar, apenas, o lado lesionado.








7 - Deslizamento na Parede:

Encostar os ombros, as costas e a cabeça contra uma parede e olhar para frente.

Manter os ombros relaxados e pés a uma distância de 30 cm da parede.

Deslizar parede abaixo até que as coxas fiquem quase paralelas ao chão, conservando sempre sua cabeça e tronco eretos.

Manter esta posição por 20 segundos.

Repetir o exercício 10 vezes e, aos poucos, aumentar o tempo especificado acima, para fortalecer ainda mais os músculos do seu quadríceps.







 



Imprima este artigo





 
 
 
Clínica Deckers
Av. Europa, 887 - Jd. Europa - São Paulo / SP
Tel.: (11) 3065 1299
contato@clinicadeckers.com.br