Lesão do Ligamento Colateral Anterior e Sua Reconstrução Orientações Médicas / Ortopedia  

O que é o Ligamento Cruzado Anterior (LCA)?

Ligamentos são fortes tiras de tecido que conectam um osso ao outro. O Ligamento Cruzado Anterior (LCA) é um de quatro grandes ligamentos no joelho. Ele está no centro da articulação do joelho, ligando o osso da coxa (fêmur) ao osso canela (tíbia).

O LCA, junto com o ligamento cruzado posterior, ajuda a manter o joelho estável, não permitindo que o fêmur deslize ou rode sobre a tíbia.

Como ocorre a lesão?

A lesão de LCA costuma ser uma lesão de esportes e resulta de uma rotação ou hiperextensão brusca do joelho, mas também pode ocorrer quando o fêmur é empurrado para trás e o pé está fixo no chão.

O LCA, na maioria das vezes, tem todas as suas fibras rompidas, caracterizando um caso mais grave, ou apenas algumas delas sofrem a ruptura.

Em aproximadamente 50% dos casos, a lesão deste ligamento vem acompanhada de uma lesão de menisco, em alguns casos ela acontece junto com uma lesão do ligamento colateral lateral.


Quais os sintomas?

Normalmente os pacientes sabem exatamente quando romperam o ligamento, 33% dos pacientes relata ter ouvido um estalo e dor na hora da lesão.

Quando a lesão ocorre durante alguma atividade física, o paciente é incapaz de terminar o exercício por causa da dor e da instabilidade no joelho.

Os principais sintomas relatados são a dor, a instabilidade e o edema, que acontece principalmente nas primeiras horas após a lesão.

Como é diagnosticada?

O médico examinará o joelho, fará testes específicos para esta lesão e perguntará como a lesão aconteceu. Geralmente ele pedirá Raio-X, para certificar que não existe fratura e uma Ressonância Nuclear Magnética, para avaliar o grau da lesão do ligamento.


Qual é o tratamento?

• Compressas de gelo sobre o joelho durante 8 minutos, seguidos de 3 minutos de pausa, esse ciclo deve se repetir até completar 30 minutos, pode ser feito 3 vezes por dia, durante 2 ou 3 dias ou até que a dor desapareça,

• Manter o joelho elevado sempre que possível, para ajudar a diminuir o edema,

• Uso de uma tala imobilizadora e muletas, para proteger o joelho.

• Em casos de edemas muito grandes, o médico poderá decidir remover o líquido do joelho, com ajuda de uma seringa e agulha.

Geralmente quando a lesão é parcial, quando o paciente não pratica esportes ou já tem uma idade avançada, o tratamento será conservador e o paciente será encaminhado à fisioterapia.

Mas o paciente deverá considerar a opção de fazer a cirurgia (mesmo com a lesão parcial) se ele:

• Apresentar grande instabilidade de joelho,

• For atleta profissional,

• For jovem e gostar de praticar esportes,

• Quiser prevenir lesões futuras.

Quando a lesão é completa, o médico decidirá se o paciente deve fazer fisioterapia intensiva ou se fará a cirurgia e depois a reabilitação. O LCA, quando rompido por completo, não pode ser costurado novamente, por isso a reconstrução dele é feita usando um enxerto, proveniente de outro ligamento ou de um tendão de outras partes da perna, que é colocado no lugar e fará a função do LCA.


Quando retornar ao esporte ou à atividade?

O objetivo da reabilitação é que o retorno do paciente ao esporte ou à atividade aconteça o mais breve e seguramente possível. O retorno precoce poderá agravar a lesão, o que pode levar a um dano permanente.

Todos se recuperam de lesões em velocidades diferentes e, por isso, para retornar ao esporte ou à atividade, não existe um tempo exato, mas quanto antes o médico for consultado, melhor.

O retorno ao esporte acontecerá, seguramente, quando o paciente:

• Conseguir dobrar e esticar o joelho totalmente, sem dor;

• Recuperar a força, quando comparada com a outra perna;

• Não apresentar mais edema;

• Conseguir andar, sem dor e sem mancar;

• Conseguir correr, sem dor e sem mancar;

• Conseguir fazer mudanças de direção bruscas, sem dor;

• Conseguir correr, em “8”, sem dor;

• Conseguir pular com as duas pernas e somente com a lesionada, sem sentir dor.

Pacientes que passaram por cirurgia devem ter autorização do médico para retornar ao esporte.


Como evitar a lesão do ligamento cruzado anterior?

Infelizmente, a maioria das lesões do ligamento cruzado anterior ocorre durante acidentes imprevisíveis. Entretanto, é possível evitar essas lesões, mantendo a musculatura das pernas fortes e bem alongadas.

Ao esquiar, a amarra do esqui deve estar corretamente ajustada por um profissional treinado, para que eles se soltem dos pés do indivíduo em casos de quedas.

Como é feita a reconstrução do Ligamento Cruzado Anterior?

O LCA rompido não pode ser recosturado, ele tem que ser substituído por um enxerto.

O tecido de reposição é chamado enxerto, que pode vir de diversos lugares do corpo.

Os tendões são tiras de tecido conjuntivo, que ligam os músculos aos ossos. O enxerto mais freqüentemente usado nesta cirurgia, é o que é retirado do tendão patelar. Esse tendão conecta a patela ao osso da perna (tíbia). O enxerto é feito do terço central do tendão patelar.

Outra opção de enxerto bastante utilizada vem do tendão dos músculos semitendíneo e grácil, que estão na parte de trás da coxa.

Se o enxerto vier do próprio corpo do paciente, é chamado de enxerto autólogo. Se o enxerto vier de um banco de tecidos (alguém que tenha morrido), é chamado homólogo.

Médicos estão tentando usar algumas espécies de enxertos sintéticos, mas até agora não funcionaram bem. Pesquisas vêm sendo feitas, para descobrir melhores tipos de enxertos que possam ser usados.

O médico discutirá com você as opções e o ajudará a decidir qual procedimento é melhor.


1
O fêmur e a tíbia são perfurados e o LCA rompido é removido



2

O enxerto é passado através das perfurações substituindo o LCA rompido



3

O enxerto é preso ao local através de parafusos, grampos ou outros implantes que podem ser de metal ou de material bio-absorvível.



Exercícios de reabilitação da lesão do ligamento cruzado anterior:

*** Atenção, cuidado ! Sempre faça os seus exercícios acompanhado por um profissional

A reabilitação deverá acontecer de maneira progressiva e durará em média 6 meses.

Os exercícios a seguir são apenas um guia de tratamento básico, por isso o paciente deve fazer a reabilitação acompanhado de um fisioterapeuta, para que o programa seja personalizado. 

A fisioterapia conta com muitas técnicas e aparelhos para atingir os objetivos, como: analgesia, fortalecimento muscular, manutenção ou ganho da amplitude de movimento de uma articulação, etc, e por isso, o tratamento não deve ser feito sem a supervisão de um profissional.

Os primeiros exercícios a serem realizados são:





1 - Deslizamento do Calcanhar

Sentar com as costas eretas, sobre uma superfície firme e estender as pernas para frente.

Lentamente, deslizar o calcanhar da coxa lesionada em direção às nádegas, levando o joelho no sentido do tórax.

Retornar à posição inicial e repetir 10 vezes.

 

 




2 - Contração do Quadríceps:

Pressionar a cama com a parte de trás do joelho, manter 5 segundos e relaxar.

Repetir 10 vezes.

 

3 - Elevação da Perna Estendida:

Com o joelho da perna operada, totalmente estendido na cama, elevar a perna, manter alguns segundos e descer.

Repetir 10 vezes.





4 - Flexão de Bruços do Joelho:

Deitar sobre o abdômen, com as pernas estendidas.

Flexionar o joelho do lado lesionado até que o calcanhar se encontre com as nádegas. 

Voltar à posição inicial e repetir 10 vezes o exercício. 

Fazer 3 séries. Quando ficar fácil, pesos podem ser colocados no tornozelo.



 



Imprima este artigo





 
 
 
Clínica Deckers
Av. Europa, 887 - Jd. Europa - São Paulo / SP
Tel.: (11) 3065 1299
contato@clinicadeckers.com.br