Distensão dos Tendões Fibulares Orientações Médicas / Ortopedia  

O que é a distensão de tendões fibulares?

Uma distensão é uma lesão na qual fibras musculares ou tendões são estirados ou rompidos. Os músculos fibulares estão na parte externa da perna e seus tendões se ligam ao pé. Esses músculos e tendões ajudam a movimentar o pé externamente.

Como ocorre?

Durante uma torção em que o pé é virado para dentro, movimento chamado de inversão, os tendões fibulares podem ser distendidos ou rompidos. Eles também podem se lesionar quando o pé é forçado para cima de encontro à canela. A distensão dos tendões fibulares pode resultar de corridas em ladeiras ou uso de calçados que exijam muito da parte externa do calcanhar.


Quais são os sintomas?

Dor e edema na parte externa da canela e do tornozelo.


Como é diagnosticada?

O médico examinará o tornozelo e a perna e fará movimentos com eles para testar os músculos e os tendões. Raios-x podem ser tirados, para saber se há fratura no tornozelo ou em um dos ossos do pé.


Como é tratada?

O tratamento pode incluir:

• Aplicação de compressas de gelo sobre o tornozelo, por 20 a 30 minutos, sendo que a cada 8 minutos de gelo deve-se fazer uma pausa de 3 minutos. Pode ser feita a cada 3 ou 4 horas, por 2 ou 3 dias ou até que a dor desapareça;

• Elevação do tornozelo, para diminuir o edema. Colocar um travesseiro sob o pé;

• Uso de uma faixa elástica envolta no tornozelo, para diminuir o edema;

• Uso de tornozeleira;

• Fisioterapia.


Quando retornar ao esporte ou à atividade?

O objetivo da reabilitação é que o retorno do paciente ao esporte ou à atividade aconteça o mais breve e seguramente possível. O retorno precoce poderá agravar a lesão, o que pode levar a um dano permanente. Todos se recuperam de lesões em velocidades diferentes e, por isso, para retornar ao esporte ou à atividade, não existe um tempo exato, mas quanto antes o médico for consultado, melhor.

O retorno ao esporte ou à atividade acontecerá, com segurança, quando os itens listados abaixo forem realizados, progressivamente:

• Dobrar e esticar totalmente o tornozelo, sem sentir dor;

• A perna e o tornozelo recuperarem a força normal, em comparação aos não lesionados;

• Não houver edema;

• Correr em linha reta, sem sentir dor ou mancar;

• Correr em linha reta, a toda velocidade, sem sentir dor ou mancar;

• Fazer viradas bruscas, a 45º;

• Fazer viradas bruscas, a 90º;

• Fazer o “8” com 18 metros;

• Fazer o “8” com 9 metros;

• Pular com ambas as pernas e somente com a perna lesionada, sem sentir dor.


Como prevenir a distensão de tendões fibulares?

A melhor maneira de prevenir essa distensão é mantendo os tornozelos e os músculos fibulares fortes, usando calçados para esporte de alta qualidade e tornozeleiras, aquecendo-se antes e depois do esporte.

Na corrida, escolher superfícies planas e evitar pedras e buracos.


Exercícios de reabilitação para a distensão de tendões fibulares:

*** Atenção, cuidado ! Sempre faça os seus exercícios acompanhado por um profissional

Os exercícios a seguir são apenas um guia de tratamento básico, por isso o paciente deve fazer a reabilitação acompanhado de um fisioterapeuta, para que o programa seja personalizado.

A fisioterapia conta com muitas técnicas e aparelhos para atingir objetivos como analgesia, fortalecimento muscular, manutenção ou ganho da amplitude de movimento de uma articulação, etc, e por isso, o tratamento não deve ser feito em casa e sem a supervisão de um profissional.

Esses exercícios podem ter início quando for confortável para o paciente suportar o seu peso sobre as duas pernas.

 





1 - Alongamento Com a Toalha:

Sentar sobre uma superfície firme, com a perna lesionada estendida à frente do corpo.

Laçar o pé com uma toalha e puxá-la, suavemente, em direção ao corpo, mantendo os joelhos estendidos.

Manter essa posição por 30 segundos e repetir 3 vezes.

Para um bom alongamento, é necessário sentir, apenas, um desconforto, não devendo permitir uma dor aguda.







2 - Alongamento em Pé da Panturrilha:

Ficar de pé, com os braços estendidos para frente e as mãos espalmadas e apoiadas em uma parede na altura do peito. 

A perna do lado lesionado deve estar, aproximadamente, 40 cm atrás da perna do lado são. 

Manter o lado lesionado estendido, com o calcanhar no chão, e inclinar-se contra a parede. 

Flexionar o joelho da frente até sentir o alongamento da parte de trás do músculo da panturrilha, do lado lesionado. 

Manter essa posição de 30 a 60 segundos e repetir 3 vezes.








3 - Exercícios Com a Faixa Terapêutica:

A - Resistência a dorsiflexão:

Sentado com a perna lesionada estendida e o pé perto de uma cama, enrolar a faixa ao redor da planta do pé.

Prender a outra extremidade da faixa no pé da cama.

Puxar os dedos do pé, no sentido do corpo. Lentamente, retornar à posição inicial.

Repetir 10 vezes e fazer 3 séries.

B - Eversão com resistência:

Sentado, com ambas as pernas estendidas e a faixa laçada em volta de ambos os pés. 

Lentamente, virar o pé lesionado para cima e para fora.

Manter essa posição por 5 segundos. 

Fazer 3 séries de 10.





4 - Elevação Dos Dedos do Pé:

Em pé, tirar os dedos do chão. 

No início pode-se balançar para trás sobre os calcanhares, de maneira que os dedos dos pés saiam do chão, para facilitar o exercício.

Manter essa posição por 5 segundos e fazer 3 séries de 10.





5 - Equilíbrio Sobre Uma Perna:

Ficar em pé, sem apoiar em nada e tentar equilibrar-se sobre a perna lesionada. Não deixar que o arco do pé aplaine-se, nem que os dedos do pé se dobrem.

Começar com os olhos abertos e, posteriormente, tentar fazer o exercício com os olhos fechados. 

Manter a posição sobre uma única perna por 30 segundos. 

Repetir 3 vezes.

6 - Pular Corda:

Pular corda com as duas pernas, por 1 minuto, depois apenas sobre a perna lesionada, por 1 minuto. 

Se ficar fácil, aumentar o tempo.

 


 

 



Imprima este artigo






 
 
 
Clínica Deckers
Av. Europa, 887 - Jd. Europa - São Paulo / SP
Tel.: (11) 3065 1299
contato@clinicadeckers.com.br