O Desenvolvimento da Criança Orientações Médicas / Pediatria  

Logo após o nascimento, o bebê perde um pouco de peso, que ele recupera na primeira semana de vida. Em média, os recém nascidos ganham de 20 a 30 gramas por dia, e crescem 2,5 a 4 cm no primeiro mês.

Seu pediatra prestará muita atenção ao crescimento craniano do bebê, pois reflete o crescimento do cérebro. O crânio crescerá muito nos 4 primeiros meses de vida, mais do que em qualquer outra fase. Ao nascer, mede, em média, 35 cm, e no final do primeiro mês, deve medir uns 37,5 cm.

Por volta da 3ª semana, o umbigo já terá secado completamente e caído.

A maior parte da atividade do seu bebê é reflexiva. Por exemplo, se você puser um dedo na boca dele, ele começará a sugar. Outro reflexo importante nesta fase é o reflexo de Moro, que faz com que seu filho abra os braços e estique as pernas e o pescoço se ele for mudado de posição muito abruptamente, ou se assustar com um som muito alto.

Outro reflexo é que ele agarra seu dedo, caso você o coloque na palma da mão do bebê, e ele também abre os dedinhos do pé em leque, se você tocar na planta do pé. Aos poucos os reflexos desaparecem, e o bebê apresenta respostas voluntárias.

Seu bebê poderá sofrer de cólicas, isto é muito comum. Geralmente elas ocorrem no final do dia, e fazem com que o bebê chore desconsoladamente. Costumam melhorar por volta do terceiro mês. Tente colocá-lo de bruços sobre suas pernas e massagear as costas do bebê, ofereça uma chupeta, enrole-o num cobertor para que se sinta mais seguro, e caso você fique muito aflita com o choro do bebê, peça a outra pessoa que fique com ele por uma ou duas horas e saia de perto dele um pouco.

Durante o primeiro mês de vida, o bebê começará a sorrir e a dar risadinhas. No começo, ele poderá fazer isto enquanto dorme, mas depois fará isto quando estiver acordado, o que trará imenso prazer para você e seu filho.

Os músculos do pescoço vão se fortalecendo aos poucos, embora ele ainda não consiga segurar a cabeça nesta idade, somente por volta dos 3 meses. Mas se colocado de bruços, ele poderá mudar a cabeça de lado.

A visão do bebê também sofrerá alterações no primeiro mês. No começo, ele é extremamente sensível à luz. Com duas semanas, suas pupilas já se dilatam um pouco e ele consegue distinguir algumas sombras. A retina também se desenvolve e faz com que consiga reconhecer objetos.

A audição é extremamente sensível, e sons muito agudos ou altos fazem com que o bebê se retraia completamente ou abra um berreiro. Ele gosta de ouvir vozes, e sons ou música suaves.

O choro é a maneira de como o bebê expressa suas necessidades: cansaço, sono, fome, frio, calor, desconforto, etc. Os pais devem se manter calmos, e tentar algumas coisas: trocar a fralda, alimentar o bebê, ver se está com frio ou calor, oferecer uma chupeta, dar banhos, segurar o bebê e balançá-lo suavemente, e falar com ele.

Um recém-nascido dorme de 20 a 22 horas por dia. O ideal é fazer com que se acostume a dormir no berço. Procure não acostumá-lo a dormir no colo, pois depois será mais difícil desfazer este hábito.

Entre 1 e 4 meses o bebê já faz alguns movimentos voluntários, não tanto por reflexo. Ele pode passar longos períodos olhando para as próprias mãos. Ele reconhecerá a voz da mãe e sorrirá ao ouvi-la. Ele já passa mais tempo acordado. Já é possível tentar estabelecer uma rotina com o bebê e ele passará a dormir mais à noite, ficando mais tempo acordado durante o dia.

Por volta dos 4 meses de idade a fontanela na cabeça do bebê deve ter fechado.

Os músculos do pescoço estão mais desenvolvidos, e a criança consegue segurar um pouco mais a cabeça.

As pernas já não estão tão arqueadas como quando era um recém-nascido e consegue movimentá-las com mais vigor. Normalmente, um bebê consegue rolar de um lado para o outro por volta dos seis meses, mas é bom não arriscar e nunca deixá-lo sem supervisão em cima do trocador ou qualquer outra superfície acima do chão.

Aos dois meses, o bebê já consegue acompanhar o movimento de um objeto. Ele consegue distinguir as expressões faciais também, e gosta muito de se olhar no espelho. Com 3 ou 4 meses ele já consegue visualizar objetos mais longe dele, olhar pela janela ou para a televisão.

Da mesma forma que ele gosta de olhar para um rosto humano, o bebê também gosta de ouvir vozes humanas, e reconhece a da mãe, mesmo que esteja num outro quarto. Por volta dos 3 ou 4 meses ele consegue balbuciar alguns sons. É importante conversar sempre com o bebê e não utilizar linguagem muito infantil, fale normalmente com ele.

Por volta dos 3 meses, o bebê já consegue fixar seu olhar no da mãe, sorrir pra ela, e expressar sua alegria com o corpo todo, agitando braços e pernas. Nesta fase, ele também gosta do convívio com outras crianças.

Aos 4 meses de idade, vocês já estabeleceram uma rotina de banho, alimentação e sono, e ser consistente com a rotina traz segurança para o bebê. É óbvio que às vezes ocorrem alterações na rotina, que devem ser encaradas positivamente, sem que acarretem nenhum problema para o bebê.

A partir desta fase, ocorrem grandes transformações. Ele já tem mais controle sobre seus movimentos, consegue rolar de um lado para o outro, ficar sentado, engatinhar, consegue agarrar objetos.

Não existe uma fórmula definitiva de como criar um bebê, ele é único e tem sua própria personalidade e gostos, e vocês dois têm que descobrir a melhor maneira de se relacionarem.

Quanto ao crescimento, geralmente o bebê ganha meio quilo de peso por mês, e cresce uns 5 cm entre os 4 e 7 meses de idade. A circunferência da cabeça aumenta uns 2,5 cm. Não é tão importante o quanto ele cresce ou engorda, mas que ele se mantenha dentro da curva de crescimento.

A partir dos 4 meses, a visão melhora consideravelmente, ele já consegue distinguir cores, preferindo o vermelho e o azul. A coordenação olho-mão está bem desenvolvida e consegue acompanhar movimentos rápidos de objetos.

Ele consegue emitir sons mais distinguíveis e às vezes imita diferentes entoações, como se estivesse fazendo uma pergunta, ou afirmando alguma coisa. É muito importante conversar com o bebê.

Nesta idade ele gosta de brincar de esconde-esconde com objetos ou pessoas. Ele aprende que os objetos são permanentes, mesmo que não estejam no seu campo visual. Ele percebe também que algumas ações dele provocam reações, como chacoalhar um chocalho, bater algum objeto na mesa, deixar cair objetos, enfim, é importante nesta fase oferecer coisas que não se quebrem, sejam leves e suficientemente grandes que ele não consiga colocá-las na boca. Às vezes, uma colher de pau entretém a criança por muito
tempo.

Por volta dos 5 meses de idade, quando colocado de bruços, o bebê consegue segurar a cabeça, e tenta erguer o tórax. Ele também fará movimentos com os braços e pernas, como se estivesse nadando. Estes movimentos são importantes para que ele role e depois engatinhe. Ele consegue ficar sentado quando tem algum apoio, como uma almofada atrás dele, mas também consegue formar um “tripé” e esticar os braços e se apoiar com as mãos no chão.

Por volta dos 6 a 8 meses, seu bebê já consegue segurar objetos com mais firmeza e consegue transferi-los de uma mão para a outra. Ele consegue agora segurar seus pés quando está deitado de costas, e trazê-los até a boca. Fica mais difícil a troca de fraldas,
pois ele também tenta por a mão nos seus genitais.

A cada dia, seu filho adquirirá novas habilidades, tornando-o mais independente. É muito importante que sua casa não ofereça riscos à criança. Clique aqui e veja o tópico sobre prevenção de acidentes dentro de casa.

Assim que o bebê conseguir ficar sentado sozinho, por volta dos seis meses, é aconselhável deixá-lo nesta posição por algum tempo, com brinquedos a seu redor.

Cada criança tem seu ritmo de desenvolvimento, algumas “pulam” algumas fases, por exemplo, algumas andam sem ter engatinhado. Não adianta comparar seu filho com outras crianças que conhece, pois ele é único. Caso você observe um atraso muito notável em alguma fase do desenvolvimento, é aconselhável conversar com seu pediatra.

Assim que a criança começar a andar, precisará usar sapatos. O melhor modelo é um que seja confortável, com solas antiderrapantes. Isto acontece por volta de 1 ano de idade, embora algumas crianças começam a andar antes disto, e outras demoram um pouco mais.

Nesta fase, a criança também adquire habilidades manuais incríveis, consegue fazer o movimento de pinça, usando o polegar e indicador, tira e põe objetos de um recipiente, aponta com o indicador, tenta imitar a escrita, rola uma bola, consegue montar uma torre com alguns blocos, e adora derrubá-la!

Por volta de um ano de idade, a criança já consegue dizer algumas palavras (“ma-ma” “pa- pa”), e com certeza, ela entende muito do que a mãe diz. Por isso, é muito importante conversar sempre com a criança enquanto estiver dando banho, trocando a fralda, dando
de comer, etc. Identifique os objetos e partes do corpo, enquanto fala com ela.

A criança consegue se concentrar num objeto por alguns minutos apenas, e tentará explorar algo novo logo em seguida. Os objetos da casa despertam muito interesse, como uma colher de pau, uma caixa de cereais, tampas de panelas, etc. Ela vai explorando todas as propriedades dos objetos, se rolam ou não, as texturas, o gosto, tamanho, etc.

Ao redor dos 10 a 12 meses, o bebê começa a sentir uma ansiedade de separação. Ele estranha ficar com pessoas desconhecidas e fica muito aflito ao não ver a mãe, ou a pessoa que cuida dele, perto dele. A ansiedade costuma ser pior quando o bebê está cansado, com fome ou doente. Se você sabe que vai ter que sair, certifique-se que ele esteja alimentado e descansado antes de sair. Procure ficar com ele o máximo que puder quando ele estiver doente. Ao sair, faça-o sem chamar muito a atenção. Despeça-se dele, e saia. O choro durará alguns minutos apenas.

Muitas vezes, a criança escolhe um “objeto de transição”, alguma coisa que lhe transmite segurança, seja um paninho, um bichinho de pelúcia, uma peça de roupa, enfim. Para facilitar as coisas, tente providenciar um duplicado do objeto de transição para evitar transtornos caso o objeto esteja sendo lavado, ou ficou esquecido em algum lugar. Faça um rodízio dos objetos, assim o bebê não percebe muita diferença entre ambos (por exemplo, se um estiver novinho em folha e o outro mais gasto!)

 

 

 


Pode-se marcar consulta com o Dr. Eduardo Troster na recepção da Clínica Deckers.
Ele atende de segunda à sexta do período da tarde, com horário previamente marcado por telefone


Imprima este artigo






 
 
 
Clínica Deckers
Av. Europa, 887 - Jd. Europa - São Paulo / SP
Tel.: (11) 3065 1299
contato@clinicadeckers.com.br