O Resgate e o Transporte de Vítimas Orientações Médicas / Primeiros Socorros  

É importante estabelecer as diferenças. O resgate é a retirada de uma pessoa de um local que lhe oferece perigo. O transporte ou a remoção da vítima é a atitude tomada após o resgate. O transporte se faz com o acompanhamento da vítima para local onde possa ser atendida com segurança e tranquilidade.

O transporte traz consigo sempre o risco de agravamento da lesão. Por isso, nunca remova uma pessoa ferida a menos que esteja correndo perigo imediato ou que necessite de proteção enquanto aguarda socorro médico.

Você não deve colocar em risco sua própria segurança ao remover um doente ou acidentado.


Como resgatar a vítima?

Depende muito de que vítima estamos falando e o que está acontecendo. Vamos ilustrar com situações comuns:



Acidente Com Gás de Cozinha

Imagine o local impregnado pelo cheiro de gás. Cuidado! Jamais tente acender a luz ou riscar um fósforo. Se na cozinha houver uma geladeira ou um freezer ligados, desligue-os imediatamente. Saiba que o mecanismo de acionamento dos motores pode emitir faíscas, e a explsão é inevitável. Assim, a providência imediata é desligar o botijão e abrir portas e janelas.

Se no local houver vítimas, elas podem estar inconscientes ou seminconscientes. Precisam ser retiradas do local ou até mesmo, se a ventilação for boa, após as medidas descritas, ser atendidas em, assim, a situação ser identificada.



Incêndio


Este é outro acidente urbano comum. É vital pensar rápido e com clareza. O fogo se espalha muito depressa e é preciso, imediatamente, avisar as pessoas em perigo e chamar os serviços de emergência. Um dos maiores problemas quando se chega ao local é a dificuldade em controlar o pânico.

Procure tocar nas portas para verificar a temperatura. Se estiver muito quente, não abra, pois você poderá piorar o incêndio.

Procure as indicações de saída de incêndio e, ao encontrá-las, oriente todos a fecharem sempre as portas atrás de si.

Se você estiver visitando o local pela primeira vez, siga as instruções dos funcionários do edifício que, teoricamente, já foram treinados para situações como esta.

Não tente combater um incêncio, a menos que já tenha chamado um serviço de emergência

Se você ficar preso em um prédio em chamas, vá para uma sala que tenha janelas e feche a porta. Coloque um cobertor, uma toalha ou um casaco na fresta, embaixo da porta, para não entrar fumaça. Abra a janela e peça socorro.

No caso de necessidade de passar por uma sala cheia de fumaça, abaixe-se bem, pois o ar ao nível do solo é mais puro.

Ao resgatar uma vítima num ambiente com muita fumaça e sem fogo, como, por exemplo, uma garagem, primeiro abra bem as portas para que entre o ar.

Se o fogo atingir as roupas, deite rapidamente a vítima no chão e use um tecido pesado para abafar as chamas, como, por exemplo, um cobertor, uma cortina ou um tapete. Depois, deixe o lado queimado para cima.

Cuidado para não usar materiais inflamáveis para abafar as chamas, como, por exemplo náilon. Evite também usar tecido poroso.

Pode acontecer, ainda, fogo em suas próprias roupas. Pior ainda se não tiver ninguém para socorrê-lo. Nesse caso, enrole-se firmemente em material já descrito e deite-se no chão.

Em caso de incêndio, nunca se esqueça de acionar os alarmes instalados nos prédios.





Afogamento

Os acidentes na água são, muitas vezes, até mais perigosos para o resgate que os incêndios. Aqui, há sempre o risco para quem presta socorro à vítima.

Se você não tem um salva-vidas profissional ou não domina bem a natação, procure uma maneira segura de resgatar a vítima, ou oferecendo-lhe um pedaço de galho ou pau, uma corda, uma bóia, ou um remo. Tudo isso pode ser a única opção para trazer a vítima até a margem e salvá-la.

Em caso de estar em um barco, procure levar a vítima até a margem, sem tentar resgatá-la para dentro dele. Pode ser perigoso.

Não entre na água se não for absolutamente necessário.


O socorro pode vir de alguém que saiba nadar. Aí nade até até a vítima e só leve-a para a margem se você for treinado ou se ela estiver inconsciente.

Ao tirar a vítima da água, mantenha sua cabeça mais baixa do que o peito para evitar o vômito.

Observe a figura ao lado.

 

Inicie imediatamente o tratamento para a vítima de afogamento:

• Ao carregar a vítima, mantenha sempre sua cabeça mais baixa que o corpo.

• Deite-a sobre um cobetor ou algo parecido.

• Verifique sua respiração e o pulso.

• Esteja preparado para a reanimação, em caso de parada cardíaca e /ou respiratória. Para isso clique aqui e trate-a como está descrito no item Parada Cárdiorrespiratória deste guia de primeiros socorros.

• Não deixe a vítima com a roupa molhada. Proteja-a contra queda de temperatura.

A morte por afogamento ocorre, geralmente, pelo espasmo da garganta, que impede a respiração e não pelo enchimento dos pulmões de água, como se pensa. Apenas uma pequena quantidade de água penetra nos pulmões. A água que sai em grande quantidade do paciente afogado vem do estômago, e você precisa permitir que saia naturalmente. Não tente forçar a água para fora do estômago. Você pode provocar a aspiração do conteúdo gástrico para os pulmões.

Independente do estado da vítima, mesmo que pareça recuperada, leve-a para um hospital. O mínimo de água que entra nos pulmões pode causar irritação com inflamação das vias respiratórias.


Estrangulamento e Enforcamento

A violência vem crescendo, e não poderíamos deixar de lembrar situações como estas. O suicídio também aumenta, inclusive, nos países desenvolvidos e é uma preocupação dos serviços de saúde.

Enforcamento é quando o corpo é suspenso por um laço em volta do pescoço.

Estrangulamento é quando o ar é interrompido por uma compressão no pescoço.

Esganamento é a interrupção da entrada do ar quando se aperta a garganta da pessoa.

O enforcamento e o estrangulamento podem ocorrrer por acidente, não raro quando vítimas ficam presas em roupa, em ferragens, ou até mesmo por uma gravata. Pode ocorrer fratura do pescoço.

Sempre há no reconhecimento da vítima um elemento constritor em volta do pescoço, além de marcas.

O paciente sempre se apresenta com respiração rápida e difícil. O rosto fica congestionado, com veias saltadas e a pele arroxeada.


Diante dessas situações:

• Chame imediatamente socorro médico.

• Remova qualquer elemento ao redor do pescoço. Mantenha sempre cuidado com a cabeça, segurando-a firme, evitando que fique pendente.

• Se a vítima estiver inconsciente, coloque-a em posição de recuperação e, se ocorrer parada cardíaca e/ou respiratória inicie a recuperação. Veja como clicando aqui


• Independente do estado de recuperação, mesmo que a pessoa se mostre muito bem, procure atendimento médico.

Não retire do local nada que possa servir de evidência para a polícia. Pense sempre que você pode estar diante de um crime.



Acidentes Rodoviários

Os acidentes em rodovias podem ocorrer com carros, ônibus, motocicletas, caminhões, bicicletas e até veículos de tração animal.

O maior problema nessa situação é com a segurança do local. Você tem como primeira responsabilidade buscar garantir a proteção da área para que todos fiquem fora de perigo.

Ao visualizar o acidente, estacione distante do local. Cuidado ao atravessar a rodovia.

Se estiver escuro, procure por uma lanterna ou carregue consigo algo que possa refletir a luz. Não se esqueça do triângulo do seu carro. Se puder busque outros no local e sinalize a estrada.

Ao chegar junto aos veículos sinistrados, procure imediatamente desligar a ignição. Se você souber ou se alguém conhecer, procure desligar também as baterias.

Como o ambiente é tenso e frequentemente surgem outras pessoas, alerte-as para não fumar. Procure manter a calma e, se houver caminhão envolvido, cuidado com as cargas inflamáveis ou tóxicas. Deve ser redobrado o cuidado se houver combustível ou vazando
e fiação elétrica exposta.

Pronto. Diante do reconhecimento do local e dos veículos envolvidos, faça uma avaliação rápida das vítimas. Algumas podem estar conscientes e outras inconscientes.

As lesões podem ser desde simples ferimentos até mais graves e fatais.

Procure remover as vítimas apenas se houver perigo iminente ou se forem necessários os primeiros socorros.

Em caso de vítimas inconscientes, observe a situação da cabeça e do pescoço, pois é comum fraturas. Procure sustentar sempre com suas mãos a cabeça e o pescoço e numa posição que permita a respiração livre.

Se você perceber a necessidade de remover a vítima, procure por ajuda, pois são necessários duas ou três pessoas para orientar os movimentos.

Em caso de vítima presa debaixo de um veículo, você só terá sucesso se encontrar ajuda para remover o veículo. Procure continuar calmo e com lucidez para remover o veículo. Procure continuar calmo e com lucidez para reportar os fatos ao socorro médico e à
polícia. Informações são extremamente importantes nesses casos.

Até agora, tudo que já foi descrito sobre os ferimentos, esmagamento, fraturas e outras situações poderá contribuir para a redução do sofrimento da vítima e até salvar sua vida. Também, acidentes como esses ocorrem no perímetro urbano até com as mesmas
proporções. Veja abaixo como recorrer a ajuda e serviços de emergência.


Como transportar a vítima?

Falamos do resgate de acidente com gás de cozinha, incêncido, afogamento, estrangulamento, enforcamento e acidentes rodoviários. Agora idependente como aconteceu, é preciso conhecer métodos de transportes das vítimas.

É sempre importante tentar remover a vítima com ajuda. Evite removê-la sozinho e avalie a capacidade de seus auxiliares.


Ao tentar levantar a vítima, procure manter as costas retas, abaixando e dobrando os joelhos e mantendo o peso junto ao seu corpo.

 







Se a vítima estiver consciente, use a técnica da "muleta humana". Você fica ao lado lesado ou mais fraco da vítima e passe o braço da vítima em volta do seu pescoço. Seu outro braço passa ao redor da cintura da vítima, segurando no cinto ou cós da roupa. Dê passos pequenos e inicie a
marcha com o pé com o lado de dentro.

 



Se for necessário o "arrasto" da vítima, coloque os braços da vítima sobre o peito. Agache-se atrás dela e segure-a pelas axilas. Agora puxe segurando os pulsos com firmeza.

 

 

 

O transporte "em berço" consiste em agachar atrás da vítima, passando um de seus braços em volta do tronco, acima da cintura, e o outro por baixo das coxas.

 




 

Quando a vítima é socorrida por duas pessoas, a técnica da "cadeirinha" é simples. Os dois agacham-se um de frente para o outro, um de cada lado da vítima, cruzando os braços atrás das costas e segurando na cintura. Debaixo das coxas da vítima, eles seguram firmemente as mãos.





A técnica do transporte "longitudinal" consiste em um dos socorristas agachar atrás da vítima, passar seu braços por baixo das axilas e pegar firme pelo pulso. O auxiliar agacha-
se ao lado da vítima e passa seus braços por baixo das coxas, segurando as pernas. Ambos levantam vagarosamente e procuram caminhar ao mesmo tempo.


É muito importante saber que as técnicas do "berço", "arrasto" e "longitudinal" são as melhores para as vítimas inconscientes. Para pacientes conscientes e falando, a "muleta humana com um ou dois socorristas é a melhor. Para pacientes conscientes e que não falam, "o arrasto", a técnica da "cadeirinha" e a "longitudial" são as mais indicadas.

A técnica do "berço" é ideal para crianças. A técnica do "arrasto" pode agravar lesões na cabeça e no pescoço


 



Imprima este artigo






 
 
 
Clínica Deckers
Av. Europa, 887 - Jd. Europa - São Paulo / SP
Tel.: (11) 3065 1299
contato@clinicadeckers.com.br